[Resenha] A Casa das Sete Mulheres – Letícia Wierzchowski

A Casa das Sete Mulheres Livro

Tenho quase certeza que ao ver o título, a maioria de vocês já se lembrou da minissérie exibida pela Rede Globo no ano de 2003, certo? A adaptação televisiva se baseou num livro homônimo escrito pela gaúcha Letícia Wierzchowski, publicada em 2002 pela Editora Record.

O livro narra os dez anos da Revolução Farroupilha (1835 – 1845) – a mais longa guerra civil do continente – pelo ponto de vista feminino, mas especificamente, no enfoque das parentas do general Bento Gonçalves. Antes do início da guerra, ele isolou as mulheres da família em uma estância, a fim de protegê-las.  Entretanto, o tempo se passa e a guerra não termina. Assim, o rumo da vida dessas sete mulheres começa a se modificar para sempre.

Essa não é a primeira vez que eu leio algo da autora, em 2014 eu li seu livro mais recente “Sal” e eu já havia me encantado com forma que Letícia escreve suas histórias. Em “A Casa das Sete Mulheres”, ela não decepcionou: sua escrita é um poema em formato de prosa.

A obra nos apresenta duas formas narrativas que vão se revezando até o final da trama: os “Cadernos de Manuela”, contam a história sob a perspectiva da personagem interpretada por Camila Morgado na telinha e “A estância/guerra” que é uma narrativa em terceira pessoa, explanando a linha de história de cada uma das sete mulheres, além de focar na guerra e nos homens da família (ou agregados) que estão nela.

Logo de início, o leitor tem uma pequena dificuldade em relação à linguagem, pois a trama de passa no século XIX, então alguns termos são um pouco diferentes ou um pouco regionalizados, isto é, expressões que se usadas Rio Grande do Sul da época. Entretanto, essa impressão é apenas momentânea, pois a narrativa se desenrola de uma forma natural e muito interessante.

Dentre as personagens da estância e suas histórias, preciso destacar a trama de Rosário (interpretada por Mariana Ximenes, na minissérie). Com certeza, uma das storylines mais interessantes criadas pela autora.

A Casa das Sete Mulheres Livro

As sete mulheres confinadas na Estância da Barra (da esquerda para direita): Manuela (Camila Morgado), D. Ana (Bete Mendes), Maria Manuela (Nívea Maria), Perpétua (Daniela Escobar), Caetana (Eliana Giardini), Mariana (Samara Felippo) e Rosário (Mariana Ximenes). Foto: Divulgação.

Outro destaque do livro é que conforme o tempo passa, quem está lendo começa a se sentir presos e angustiados nessa estância assim como as mulheres. As notícias são escassas, a preocupação é grande e o fim nunca chega. O medo e a fé estão presentes do tempo todo para essas gaúchas.

Bem, se você gosta da literatura nacional e tem interesse por romances épicos, fica a minha indicação de “A Casa das Sete Mulheres”. E pra quem não sabe, o livro tem uma continuação que se passa no fim da Revolução Farroupilha até o fim da Guerra do Paraguai, intitulado “Um Farol no Pampa” (2004). O que será que acontece com as nossas heroínas? Outra guerra está presente em suas vidas, como será que elas vão reagir em relação a isso? Eu também não sei, mas quando eu souber vou contar pra vocês com certeza.

Até a próxima.

A Casa das Sete Mulheres Livro

Um exemplo de trecho do livro que é narrado pela personagem Manuela, sobrinha de Bento Gonçalves.

A Casa das Sete Mulheres Livro

O livro é dividido pelo anos em que a Revolução Farroupilha ocorre. Na foto, vemos a transição para o ano de 1837.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s