[Resenha] Tudo o Que é Sólido Pode Derreter – Rafael Gomes

Tudo que é sólido pode derreter livro resenha

Com certeza a maioria das pessoas foi obrigada a ler alguns dos clássicos da literatura na época da escola, certo? Sim, eu também passei por essa fase. Essas leituras consideradas “chatas” por muita gente é o mote do livro “Tudo o que é sólido pode derreter”, escrito por Rafael Gomes e lançado pela Leya em 2011. Pra quem não sabe, o autor do livro foi um dos diretores da série homônima exibida pela TV Cultura no ano de 2009.

O livro conta a história de Thereza, uma jovem adolescente que está prestes a começar o seu primeiro dia de aula no ensino médio, mas ela não está nada animada. A única aula que lhe interessa é a aula de literatura. E é a partir desse interesse, que Thereza começa a descobrir a magia nos livros de língua portuguesa.

Vou tentar explicar: cada capítulo da obra representa um livro, poema ou peça de teatro da literatura luso-brasileira que Thereza está lendo naquele momento da sua vida. No meio de tudo assim, algumas situações parecidas com as que acontecem em sua leitura são reproduzidas no cotidiano da protagonista. Por exemplo: no momento em que Thereza está lendo “Dom Casmurro”, a escola toda começa a comentar sobre a separação do casal mais popular. Se que houve traição? É mais ou menos dessa forma que a obra segue sua narrativa.

No total são 12 capítulos no livro, que representam as obras: “Auto da Barca do Inferno”, “Os Sermões”, “Os Lusíadas”, “Canção do Exílio”, “Senhora”, “Macário”, “Dom Casmurro”, “Quadrinha”, “Um Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres”, “Quem Casa, Quem Casa” e “O Guardador de Rebanhos”.

A narrativa do livro, apesar de um pouco complicada de se entender, é muito tranqüila. A linguagem usada é bem próxima do nosso cotidiano. Além disso, todos os capítulos dão uma certa curiosidade para que o leitor busque ler a obra original. Isso que é legal: incentivar os jovens a ler que na escola parecem chato, mas na verdade são tramas bem interessantes.

Outro ponto que quero destacar, é que Rafael Gomes tenta mostrar a as características de cada obra em seu capítulo, por exemplo, voltando a “Dom Casmurro” quem leu a obra sabe de ela tem muito capítulos curtos. É basicamente isso que o autor faz no capítulo sobre esse livro: vários capítulos curtos, dentro do capítulo. Uma metalinguagem incrível, que se repete em muitos capítulos.

SOBRE A SÉRIE

Tudo o que é sólido pode derreter resenha

Em 2009, quando eu tinha 15 anos, estreava no dia 10 de abril a série “Tudo o que é sólido pode derreter”. Diferentemente do livro, a produção televisiva conta com 13 capítulos com um episódio a mais, sobre a obra “Macunaíma”. Só pra constar, a série é derivada de um curta metragem homônimo que tinha como inspiração o livro “Hamlet” de Willian Shakespeare.

Eu era – e ainda sou – muito fã desse seriado, pois, ela me incentivou muito a ler livros da nossa literatura. Minha admiração é tão grande, que eu tenho até o Box com os Dvds da série (paguei super caro na época, mas valeu muito a pena). É uma pena que esse produto ter tido apenas uma temporada. Por que tudo o que é bom não é valorizado? Eu torço para que um dia um segundo livro da série seja publicado. Não custa sonhar, não é mesmo?

Então, se você está a fim de conhecer a história de Thereza e de quebra ser incentivado a ler livros da literatura luso-brasileira, “Tudo o que é sólido pode derreter” (a série ou o livro) são ótimas indicações. Espero que você mergulhe, da forma que eu mergulhei na proposta dos autores e diretores. E uma observação, a série está toda disponível no YouTube, vou deixar alguns vídeos aqui em baixo pra vocês darem uma olhada.

Até a próxima.

Tudo o que é sólido pode derreter  resenha

Abertura do capítulo “Os Lusíadas”, inspirado da obra de Camões.

Tudo o que é sólido pode derreter dvds resenha

Meus dvds da série “Tudo o que é sólido pode derreter” *-*

 

Anúncios

Um comentário sobre “[Resenha] Tudo o Que é Sólido Pode Derreter – Rafael Gomes

  1. Poxa, eu não conhecia o seriado mas as imagens dele não são estranhas pra mim haha! A história é super legal e tenho certeza que dá pra se identificar. Eu amava as minhas aulas de literatura no ensino médio e adorei o fator metalinguagem do livro também *.*

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s