[Resenha] Sal – Letícia Wierzchowski

sal, livro

Alguém aí já ouvir falar em Letícia Wierzchowski? Não? Mas, vocês já ouviram falar sobre “A Casa das Sete Mulheres”, não é? Sim, aquela minissérie Rede Globo. Vocês se lembraram?

Letícia é a autora do livro que deu a base para a produção global escrita por Maria Adelaide Amaral e Walter Negrão. Faz pouco  tempo que li seu livro mais recente, intitulado “Sal” (Editora Intrínseca). Desde o ano passado estava muito curioso para ler algo da autora, como “Sal” estava com um preço muito bom revolvi comprá-lo.

O livro é dividido em três partes e conta a história da família Godoy, cujos integrantes são Ivan,que é casado com Cecília e os seus seis filhos: Lucas, Julieta, Orfeu,as gêmeas Flora e Eva, que Tibérius.

Flora, que é apaixonada pela literatura – fiquei encantado por ela- começa a escrever um livro e esse acaba indo parar nas mãos de um professor estrangeiro que chega à ilha. A chegada de Julius Templeman, o professor inglês, traz uma série de mudanças na vida dessa família.

O enredo começa com Cecília, que já avançada na idade, está fazendo tricô, cujo ato representa a história de sua própria família, os Godoy. Cada personagem é representada por uma cor, e cada uma dessas “cores” narram uma parte da história. O interessante do livro é o modo que é narrado, por exemplo, uma personagem começa a descrever uma situação, mas quem termina o relato é outra personagem. Achou confuso? Não se preocupe! O livro não é todo construído dessa maneira, apenas na primeira e última parte essa narração é mantida.

O que pode causar um pouco de desconforto é o fato de que, por esse tipo de narração, o leitor pode se perder um pouco. A quantidade de personagens e situações inicialmente é meio assustadora, porém a autora consegue escrever uma trama que te prende até o fim e te familiariza com forma que é narrada.

Após ler outras críticas, há algo que também achei muito pertinente citar: a escrita. A autora escreve com um tom poético que deixa a obra ainda mais linda e rica. Entretanto, penso que “Sal” não é um livro para todos. Então, se você não gosta muito de uma linguagem mais poética, pode ser que este livro não seja adequado para você.

Uma ressalva importante, o farol. Ele é uma “personagem” que está sempre presente, mas que apenas observa todas as tragédias e alegrias que acontecem com os Godoy. Por quê? Ai você terá que ler para descobrir.

Letícia Wierzchowski é uma maestrina com as palavras. Não vejo o momento de poder mergulhar novamente em sua escrita. E isso não vai demorar: em breve estarei lendo “A Casa das Sete Mulheres”, não vejo à hora de me aventurar nessa história.

Termino por aqui hoje, até a próxima semana.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s